Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

[RESENHA] Cinco Dias - Julie Lawson Timmer / Editora Novo Conceito





Cinco Dias - Julie Lawson Timmer






Sinopse: Até que ponto você estaria disposto a se sacrificar por amor? Mara Nichols é uma advogada bem-sucedida, esposa e mãe dedicada. Ela está doente. Uma doença devastadora. Ela precisa colocar um fim ao sofrimento dos últimos tempos. Scott Coffman é um professor do ensino fundamental que precisa cuidar de um garoto de oito anos enquanto a mãe do menino cumpre pena na prisão. Mara e Scott têm apenas cinco dias para dizer adeus àqueles que amam. Essa talvez seja a maior prova de amor que poderiam dar a essas pessoas.
 SKOOB  AMAZON ❤ COMPARE&COMPRE 
P.S. Livro cortesia da editora parceira.



CINCO DIAS nos leva para o meio de duas histórias envolventes, dolorosas e reflexivas. Narrado em terceira pessoa, divido em seis partes contando cada dia, conheceremos Mara e Scott, duas pessoas ligadas por sua dor.

Mara foi diagnosticada com a doença de Huntington – Doença neurológica degenerativa, que ataca as células nervosas do cérebro -, essa doença não tem cura ou tratamento, ela vai consumindo dia após dia e em pouco tempo a pessoa se encontrará em estado vegetativo, Mara conhece esse diagnóstico, a doença já conseguiu transformar a mulher por trás dela, e ela tem seu futuro certo, algo que ela já traçou desde o inicio e que fica claro nas primeiras linhas da trama. Ela não quer ver sua família sofrendo, não quer causar ainda mais dor aos que ela ama. O que me marcou foi exatamente o fato dela não pensar em si mesma, em toda sua luta, na maneira como suas emoções e sentimentos estão sendo esmagados, ela só se preocupa com os demais, em não causar sofrimento pelo que terão que enfrentar, mas e ela? Quem a proteger?

Foi por está razão que mesmo não aceitando sua decisão, eu acabei entendendo, não deve ser fácil ver sua vida se esvaindo por entre seus dedos, aceitar que se está perdendo o controle do próprio corpo. Mas confesso, doeu muito presenciar isso. Acompanhar ela relembrando como era e como acabou ficando, e ainda buscando a maneira perfeita de se despedir daqueles que ela mais ama, como sua filhinha de cinco anos e seu marido.

"— Acho que o intelecto e a lógica não sabem merda nenhuma de como é ser diagnosticado com uma doença incurável."

Scott é professor e treinador de basquete, um homem admirável, ele está em um grande conflito ter que abrir mão de uma pessoa a quem ele tanto se apegou. Sua esposa está grávida do primeiro filho do casal, após inúmeras tentativas falhas. O momento era para ser o mais especial possível, só que Scott está preso a criança que passou a amar durante o ano em que ele conviveu com a família, só que agora ele precisa deixar está criança ir. É ai que entra um grande ponto de conflito, enquanto que ele fica magoado por sua esposa não o apoiar diante da perda eminente, ela fica machucada por ele não curtir o momento com ela, afinal de contas é o filho tão desejado deles. Eu acabei compreendendo e até ficando ao lado de sua esposa que apenas queria mais atenção de sua parte e que ele vivesse o tão sonhado momento junto com ela, não que não tenha ficado entristecida e compreendido os motivos de Scott, na verdade fiquei arrasada.

''O garoto ergueu a cabeça, colocou a mão na nuca de Scott para puxá-lo mais para perto e sussurrou em seu ouvido: — Eu disse que é meu único aniversário com um pai.  Scott escutou um clique distante enquanto Laurie tirava mais uma foto: Curtis e Scott, as testas coladas, abraçados, segurando-se com força, como não quisessem se soltar nunca mais.”

Não que o drama de Scott não seja válido e emocionante, na verdade é lindo e realmente nos deixa com lágrimas nos olhos, mas Mara, ela roubou a cena, a carga que ela precisa carregar, a circunstancia em si, em minha opinião foram mais marcantes. Eu realmente senti sua dor, foi dilacerante.

Como mencionei anteriormente essas duas pessoas acabam unidas com um ponto em comum, elas possuem apenas cinco dias para dizer adeus para as pessoas que amam, Mara e Scott se conheceram em um fórum para pais adotivos, elas não sabem o nome verdadeiro um do outro e é ali que eles compartilham suas dores, medos e problemas, e de certa forma encontram a compreensão e apoio que precisam.

''Não precisava de ninguém para consertar o problema - não havia conserto. Precisava que alguém reconhecesse seus sentimentos. Aceitasse a sua dor. Concordasse que seu coração estava partido, e que deveria estar. E que poderia ficar partido por um bom tempo.''

Eu realmente não sei como resenhar este livro, não encontro as palavras certas para poder explicar e expressar o que senti durante a leitura. CINCO DIAS é denso, intenso, dilacerante, ele nos deixa com uma crescente angustia a cada novo capítulo. Como nosso tempo é curto! Como a vida pode se transformar em tão pouco tempo? Até que ponto estamos dispostos a nos sacrificar por amor? Esses são apenas alguns dos pontos aos quais somos levados a analisar.

A autora foi sensacional. Sua escrita nos envolve por sua intensidade, e ela soube exatamente como criar personagens tão marcantes e reais, com conflitos, dúvidas, medos, inseguranças, defeitos e qualidades. Ela realmente faz com que nos sentimos no lugar de seus personagens, nos deixa com ódio e amor, sem saber se apoiamos e compreendemos, ou se julgamos e depois ainda questionemos nosso próprio julgamento.

A única coisa que senti falta foi de uma continuidade, não sei, acho que esperava um epílogo, algo que me confortasse depois de toda as lágrimas derramadas e adeus difícil.


Se você é amante de um bom drama, histórias emocionantes sobre o amor e sua força, capaz de te fazer chorar muito este é o livro. Lindo, emocionante, triste e intenso. Está mais que recomendado.

Até a próxima! Bye.
Image and video hosting by TinyPic

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top