ESCÂNDALO DE CETIM, As Modistas, Vol. 2 - Loretta Chase

Sinopse: Irmã do meio entre as três proprietárias de um refinado ateliê de Londres, Sophia Noirot tem um talento inato para desenhar chapéus luxuosos e um dom notável para planos infalíveis. A loura de olhos azuis e jeito inocente é na verdade uma raposa, capaz de vender areia a beduínos. Assim, quando a ingênua lady Clara Fairfax, a cliente mais importante da Maison Noirot, é seduzida por um lorde mal-intencionado diante de toda a alta sociedade londrina, Sophia é a pessoa mais indicada para reverter a situação. Nessa tarefa, ela terá o auxílio do irmão cabeça-dura de lady Clara, o conde de Longmore. Alto, musculoso e sem um pingo de sutileza, Longmore não poderia ser mais diferente de Sophia. Se a jovem modista ilude as damas para conseguir vesti-las, ele as seduz com o intuito de despi-las. Unidos para salvar lady Clara da desonra, esses charmosos trapaceiros podem dar início a uma escandalosa história de amor... se sobreviverem um ao outro. Em Escândalo de cetim, segundo livro da série As Modistas, Loretta Chase nos presenteia com um dos casais mais deliciosos já descritos. Além de terem uma inegável química, Sophia e Longmore são divertidos como o rodopiar de uma valsa e sensuais como um corpete bem desenhado.
* Livro cortesia da editora parceira. 
💚 SKOOB 💚 AMAZON 💚 COMPARE&COMPRE 💚

RECOMENDO que antes de ler esta obra leia o primeiro volume da série – SEDUÇÃO DA SEDA, desse modo você fará um melhor aproveitamento da leitura.

Antes mesmo de iniciar a leitura de ESCÂNDALO DE CETIM eu sabia que iria me envolver e me identificar com a protagonista, existia algo sobre Sophia que me encantava, que me levava a crer que ela era muito mais do que deixava transparecer e estava correta.

Sophia está com a cabeça a mil, os problemas parecem despencarem sobre seus ombros, a loja que possui em conjunto com suas irmãs está enfrentando uma grande crise devido ao escândalo que foi o casamento de sua irmã. Quebrar os preconceitos e derrubar as barreiras do julgamento nunca pareceu tão difícil, e olha que ela está acostumada a enfrentar obstáculos. Fora isso, uma antiga concorrente está de volta, ameaçando roubar sua clientela e prejudicar ainda mais as irmãs Noirot. E como se tudo isso já não fosse o suficiente, sua melhor cliente e amiga se coloca em uma situação mais que delicada e se Sophia não intervir, tudo pode ir por água a baixo mais depressa do que ela previa. Pedir ajuda não faz muito seu estilo, mas diante das novas circunstâncias Sophia se vê obrigada a se aliar a Longmore e conviver com esse irritante conde trará grandes surpresas pelo caminho.

“— O senhor é um aristocrata mimado e ignorante. Não sabe nada a meu respeito.Não sabe tudo que já vivi. É uma criança. Um bebê. Um neném gigante, mimado, temperamental, que agride as pessoas quando não consegue o que quer. O senhor... argh!”

Sophia é como uma esponja, ela absorve todos os problemas para si mesma, como se tivesse a obrigação de resolver tudo. E acaba por não perceber o quanto isso a sufoca e ofusca sua felicidade. Altruísta, inteligente, implacável, a mulher é uma mente brilhante, possui uma sagacidade aguçada e não tem medo de se jogar de cabeça, custe o que custar. Se ela quer, consegue, vai atrás e muitas vezes, soa como uma verdadeira maluca, mas ainda assim é apaixonante, cheia de vida e tem um senso de responsabilidade e familiaridade lindo.

“Porque, por um curto período de tempo, ela soubera como era viver de verdade, no mundo dele, e não como uma intrusa. Por um curto período, ela soube como era ser especial naquela maneira curiosa que seus ancestrais foram: não porque tivessem sido grandes artesãos, inventores ou corajosos soldados, ou porque tivessem contribuído com algo de valor para a humanidade, mas porque haviam nascido especiais: eram aristocratas de verdade.”

Longmore é atrevido, desaforado, encrenqueiro, me passou aquela impressão de que palavras não significam nada, melhor logo distribuir uns socos e em contrapartida possui um lado doce, sarcástico e envolvente que nos arranca suspiros. Ele é um solteiro convicto e não enxerga nenhum bom motivo para que um casamento aconteça, e ver suas convicções serem derrubadas é fabuloso. Além disso, é divertido acompanhar o modo como ele observa de longe Sophia, existe um magnetismo na maneira como ela se move e age que o intriga e isso desperta dentro dele sentimentos conflitantes. Eles são como um encaixe perfeito, dois seres ousados, que despertam o melhor e o pior um no outro e crescem muito a cada página.

“— O amor não vai encontrar espaço em minha vida. Não sou como você. Não sou sensível. Se o amor quiser tomar conta de mim, ele terá que se esforçar mais. Além de me dar um coice no traseiro, terá que me amarrar e me bater para chegar ao meu cérebro.”

ESCÂNDALO DE CETIM, chega com um romance mais leve, quase que despretensioso, e ainda assim intenso e repleto de reviravoltas. Eu gostei do modo como a autora não o colocou em primeiro lugar e ainda assim sempre o deixou em evidencia, mostrando a evolução e a construção de um relacionamento quase que “real”. Outro ponto que amei na obra, foi que Sophia chegou para brilhar e brilhou, ela roubou as cenas, se fez presente e fugiu ao estereótipo de mocinha de romances históricos, sensíveis e ingênuas. Amo os cenários bem explorados, as descrições ricas e o modo como consigo visualizar tanto o ambiente, quanto o que os personagens estão vestindo, é quase como se eu fizesse parte da cena. Porém, preciso ser honesta e dizer que esse livro em especial teve um toque que quase beirou ao exagero, e alguns momentos se tornaram tão surreais que fiquei me questionando se aquilo seria realmente possível de acontecer. Mas ainda assim, foi uma leitura agradável, rápida e linda.

“Beijaram-se como se fosse uma dança e um duelo: avançando, recuando, circulando em um mundo que ficava cada vez mais escuro e quente, enquanto os pensamentos flutuavam fora de alcance.”

Por isso, sim eu RECOMENDO a leitura desta série.

Sobre a série:


1 – Sedução da Seda – RESENHA AQUI
2 – Escândalo de Cetim
3 – Volúpia de Veludo
4 – Romance entre Rendas


Até a próxima! Bye.

Image and video hosting by TinyPic

2 Comentários

  1. Oi Bia, o que tenho gostado nos livros da Loretta é que ela foge das mocinhas convencionais e nos entrega mulheres batalhadoras, que querem trabalhar, querem participar das decisões e que tomam a frente em diversas situações e esse livro não é diferente, Sophia é decidida, engenhosa e divertida. Gostei demais dessa leitura, achei o livro mais leve em relação ao anterior.

    Ah! Gostei da foto, cheia de linhas, fitas e pérolas :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooooiii Lili.
      Simmm, amo essas características das mocinhas. Loretta sempre surpreende. Esse livro em especial teve algumas sacadas divertidas, diálogos brincalhões que tornaram a leitura muito leve. AMEI <3
      Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...