A Verdade e Outras Mentiras - Sascha Arango

Sinopse: Henry Hayden parece um cara legal. Um autor famoso, mas humilde. Um marido devoto, embora pudesse ter a mulher que quisesse. Um amigo generoso. Alguém admirável. Mas Henry Hayden é uma mentira, uma máscara. Seu passado é um segredo, e seus planos mais ainda. Ninguém além dele e da esposa sabem que é ela quem escreve os livros que o deixaram famoso. Mas quando a amante aparece grávida, Hayden vê sua vida tão cuidadosamente construída em risco, e na tentativa de encontrar uma solução definitiva para o problema, comete um erro terrível. Agora, não só a polícia está atrás de Hayden, como seu passado também tenta alcançá-lo. Costurando mentiras, verdades e meias-verdades em uma tentativa de sobreviver, ele monta uma história complexa que talvez seja sua única chance de escapar da beira do abismo.
* Livro cortesia da editora parceira. 
💔 SKOOB 💔 AMAZON 💔 COMPARE&COMPRE 💔

Por mais que esteja nos noticiários, séries e filmes, tento negar para mim mesma o quão perversa e cruel pode ser a mente humana. Sempre questionando o que de fato motiva as pessoas a tomarem decisões e atitudes radicais e insanas. Mentes inteligentes, calculistas, frias, minimalistas com alto poder de manipulação, mentes essas que poderiam ser usadas para um bem maior, mas que ao contrário disto, se perdem no abismo dentro de si mesmo.

A VERDADE E OUTRAS MENTIRAS nos leva para conhecer Henry, um homem que aparentemente é um exemplo de boa conduta. Talentoso, charmoso, amado por sua esposa, e tido como um deus por seus fãs, ele é estereótipo de pessoa centrada e boa conduta. Porém, em seu intimo existe uma complexidade de emoções, ações e reações que o tornam o oposto disto, mas ninguém sabe, Henry é inteligente demais, mede cada passo e palavra e só demonstra aquilo que quer. A verdade é que toda sua vida é baseada em uma teia de mentiras, segredos, omissões e ver tudo isso em risco o levará a cometer atrocidades sem nenhum arrependimento.

“Não existia silêncio como aquele que surgia com a ausência de alguém. Sem nada que fosse familiar ou acolhedor, o silêncio do abandono era hostil e acusador. Sem fazer nenhum barulho, as sombras da lembrança surgiam e começavam seu jogo de imagens. Ilusões e realidade se mesclavam, vozes nos chamavam, e o passado regressava.”

Falar desta obra sem soltar spoilers é extremante complicado. Falar dela por si só, é um desafio. Eu terminei a leitura sem saber ao certo o que pensar, sentir e com uma sensação de agonia. Henry me deixava confusa, atormentada e com asco de suas ações. Com uma mente completamente doentia, ele se tornou odioso, um personagem totalmente frio, egoísta, egocêntrico, manipulador e covarde. O enredo é como um carro desgovernado pronto para um desastre em massa, a cada página mais mentiras, meias verdades e a sensação de impunidade. Os mistérios que tornavam a história eletrizante, se resolviam com rapidez e outros seguiam sem explicações e quando tudo parecia seguir sem justificativa, surge um alguém com a promessa de desmascará-lo e deixar tudo as claras e então... NADA.

“Qualquer mentiroso sabia que toda mentira devia conter uma parcela de verdade para ser convincente. Apenas uma gosta de verdade era suficiente. Como a azeitona no martíni.”

A leitura é rápida, viciante e atiça a curiosidade, nós queremos saber o que vai acontecer, desejamos desvendar cada mistério e com isso devoramos o livro. Porém para mim faltou emoção, melhor aproveitamento dos personagens secundários e melhores esclarecimentos. Posso estar sendo precipitada no julgamento devido a minha pouca experiência com thrillers e/ou a intenção do autor tenha sido exatamente esta – chocar, indignar e revelar um lado que tentamos não enxergar nas pessoas ou talvez em nós mesmos -, percebeu o grau da intensidade e complexidade da trama? Até agora não consegui definir o que penso a respeito. Entretanto uma coisa ficou realmente clara em minha mente - Nunca julgue alguém rápido demais, o que você está vendo pode não ser a verdade.

“Ele se odiava, estava constrangido e sinceramente arrependido. A vida dá de tudo, mas nunca tudo de uma vez; esse sempre fora o lema de Henry.”

Esse é meu primeiro contato com a escrita do autor e sendo totalmente honesta ele tem sacadas inteligentes, consegue nos fazer ter emoções contraditórias, explora bem os cenários e nos envolve em sua rede. Sua narrativa é viciante, fluida e torna a experiência de leitura agradável, ainda que estejamos completamente sem reações diante de acontecimentos abruptos e chocantes.

Recomendo o livro para os fãs do gênero, que gostem de leituras rápidas e que estejam em busca de uma leitura para distração.


Amei a capa do livro, remete a momentos da história. Diagramação simples e muito bem feita, parabéns a Suma de Letras.


Até a próxima! Bye.

Image and video hosting by TinyPic

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...