[RESENHA] O Último Adeus – Cynthia Hand / DarkSide (#DesafioAl2 - Meta 1)

02 fevereiro 2017




O Último Adeus – Cynthia Hand

Sinopse: O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.
💛 SKOOB 💛 AMAZON 💛 COMPARE&COMPRE 💛


Nunca é fácil perder quem amamos, mas acredite é ainda pior quando essa perca se dá por escolha da própria pessoa. É preciso falar sobre suicídio, informação ainda é a maior arma contra esse mal que assola milhares de pessoas todos os dias. Um assunto tabu que gera discussão, incompreensão e uma dor infinita para quem fica, além dos muitos questionamentos: Por que? Quais as motivações? Será que a vida estava tão insuportável assim? Qual o tamanho do vazio? E ainda assim, nenhuma resposta.

Alexis perdeu o irmão a quarenta e sete dias, Ty se matou na garagem de sua casa. Sua vida que antes parecia estar relativamente tranquila e normal, após a separação de seus pais e todas as preocupações em relação à faculdade, desandou de vez e ela se encontra totalmente perdida. Dia após dia a culpa a atormenta, ela se afastou dos amigos, terminou com o namorado e até seu sonho de cursar a MIT já não é algo certo. Sua mãe está cada vez pior, se entregou a bebida, as lágrimas parecem não ter fim e seu pai... Bom, seu pai sempre foi relapso e os abandonou há muito tempo, e tudo indica que ele não se importa. E como se tudo isso não bastasse à terapia também não tem ajudado muito, Dave seu terapeuta quer que ela sinta o luto, que o viva e deixe as emoções saírem para que assim possa seguir em frente, mas o que sentimos é que ela ainda não está preparada para deixar a dor extravazar, que algo ainda a suga para todo esse turbilhão de emoções. Será algo inacabado? Uma missão? Ou apenas um coração ferido?

“Tudo muda, penso. Esta é a única constante...”

Fui totalmente arrebatada pela história, revivi emoções que há muitos anos tinha deixado para trás. Lex está vivendo um verdadeiro inferno emocional, as feridas estão abertas, a culpa a atormenta, a saudade aprisiona e ao mesmo tempo em que está triste, frustrada e irritada, ela se sente perdida, confusa e impotente. Acompanhar seus altos e baixos, toda a crueza e densidade de suas emoções e sentimentos, foi uma experiência intensa e angustiante. Eu queria me tornar sua amiga, consolá-la e dizer que tudo ficaria bem, que o tempo é capaz de cicatrizar a pior das feridas, e em outros momentos apenas quis ser aquela que lhe oferecia a mão para ajudá-la a atravessar a ponte.

“Isso vai parecer meio lugar-comum, acho, mas nunca se sabe quando vai ser a última vez. Que você abraça alguém. Que você beija. Que você se despede.”

O que mais amei na narrativa da autora, foi sua veracidade, o lado mais cru e real da situação, ela não floreou, romantizou ou minimizou o ato e seus reflexos, muito pelo contrário, ela explorou com sabedoria cada detalhe. Pra mim a história não teve pontas soltas, não faltou absolutamente nada, porque tudo está dosado na medida perfeita. Cenários bem explorados, personagens bem construídos e uma trama bem desenvolvida.

O ÚLTIMO ADEUS é um livro sobre a perda, sobre viver o luto e ser capaz de seguir em frente, superação. O livro é narrado em primeira pessoa pela Lex, e intercalam seus desabafos no diário – uma volta pelo seu passado e momentos marcantes vividos com seu irmão -, e seu dia a dia de luta em busca da paz e o caminho de volta, tentando de alguma forma entender seu irmão, ajudar sua mãe e se reencontrar.

“(...) O perdão é confuso, Alexis, porque, no fim, tem mais a ver com você do que com a pessoa que está sendo perdoada.”

A escrita da autora é incrível, fluida, viciante e envolvente. Ela nos prende já nas primeiras páginas e consegue despertar em nosso peito sentimentos conflitantes e arrepiar. Ela sabe onde tocar, o que falar e possui o timing perfeito para cada cena. E apesar da densidade do assunto, a história é leve, promovendo uma leitura rápida e reflexiva.

“As pessoas que amamos nunca se vão realmente...”

Não preciso nem mencionar o quanto eu AMEI esse livro. Fui totalmente surpreendida, cada página me aprisionava ainda mais e em determinados momentos meu coração acelerou, me arrepiei e parei para pensar em quantas pessoas estão passando por algo semelhante. Eu já passei por algo assim e compreender a extensão dessa dor e vê-la retratada com tanta realidade foi uma experiência de leitura única. Sim, eu dei cinco estrelas para a obra e favoritei, porque ela se tornou uma das minhas queridinhas. RECOMENDO QUE TODOS leiam.

Quanto à diagramação, capricho e qualidade no produto final, não há o que falar a não ser MARAVILHOSO. A capa está linda, condizente com a história, a diagramação marcante, detalhista e rica. Parabéns a DarkSide pelo excelente trabalho.

Se a resenha escrita por si só não falou o suficiente, fiz um desabafo, uma pequena reflexão sobre a leitura:


Até a próxima! Bye.
Image and video hosting by TinyPic

5 comentários

  1. A sinopse é muito interessante. Já vou colocar na minha lista de QUERO LER :)


    http://obaucultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma leitura que vale a pena. Espero que goste. Beijos

      Excluir
  2. Oi Bia, livros que nos despertam sentimentos de protecionismo com os personagens são sempre muito bons e esse livro parece fazer com que o leitor se conecte e crie uma empatia imediata pela história e nos trás ainda um tema pouco abordado (ao menos eu não ouço tanto falar dele), mas muito importante e que precisa ser debatido, o suicídio. As dúvidas e perguntas de "por que?" são inevitáveis para os que ficam e conversar seja com um profissional ou até mesmo com um amigo, torna-se imprescindível. Ótima dica de leitura ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooooiii Lili, exatamente. Esse livro realmente mexe com nossas emoções e nos desafia a cada página. É uma leitura inspiradora e intensa. Espero que um dia possa lê-lo. Beijooos.

      Excluir
  3. Oi Bia, livros que falam sobre esse assunto, o luto, sempre são intensos né. E não é todo mundo que gosta ou aprecia esse tipo de leitura. Eu particularmente me interesso em conhecer as diversas formas que as pessoas, personificadas nos personagens, lidam com isso.
    Beijos
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

© BLOG ATITUDE LITERÁRIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por