RESENHA: Como se Casar com um Marquês, Duologia Agentes da Coroa – Julia Quinn | Editora Arqueiro


Julia Quinn não cansa de me surpreender, emocionar e cativar. Ela tece sua teia, na verdade é como se ela fizesse mágica com as palavras e conseguisse me abraçar aqui do outro lado. Até quando é apenas para ser divertido, ela consegue deixar nosso coração apertadinho, equilibra um enredo como poucos autores conseguem e torna cada leitura uma experiência única e especial.

Elizabeth está em uma situação complicada. Após o falecimento de seu pai a responsabilidade de criar e sustentar seus irmãos recaiu sobre seus ombros, não por obrigação, apenas porque ela deseja mantê-los unidos. Para conseguir tamanha façanha se tornou dama de companhia de Lady Danbury - uma senhora de língua afiada, humor ácido e muita perspicácia -. O problema é que seu pequeno salário não é o suficiente para oferecer a seus três irmãos a vida confortável e educação que merecem. A única solução que passa por sua mente seria o matrimonio, algo pelo qual ela não se mostra muito animada e ansiosa. O que nos leva para outro problema, seus pretendentes são escassos, para ser mais exata ela possui apena um e ele não é exatamente o tipo de homem capaz de fazer um coração palpitar, não apenas por sua aparência pouco atrativa e sim por seu caráter duvidoso. E quando o conformismo ameaça tomar conta de Elizabeth, algo atrai sua atenção, um livro de capa simples, mas com um titulo poderoso, que promete ajudá-la na arte da conquista e deste modo abrir seu leque de opções para quem sabe encontrar um marido satisfatório e porque não dizer: capaz de fazê-la feliz.

“(...) Era assim tão errado querer uns poucos últimos dias de risos, olhares secretos e formigamentos provocados por desejo recém-descoberto?”

James está mais do que satisfeito por poder deixar Londres por um tempo e se dirigir até a casa de sua amada tia para ajudá-la em uma missão. Afastado do Serviço a Coroa por ter tido sua identidade comprometida por uma perigosa espiã, sua vida tem andado um pouco chata e poder encarar um novo desafio o deixa animado novamente. Entretanto ao chega à propriedade de sua tia e se deparar com um ser desastrado, divertido, inocente e sem segundas intenções, James descobre que o tempo que passou no serviço a coroa, não é nada comparado à aventura que está por vir.

“Havia alguma espécie de ligação entre eles. Elizabeth não sabia nada sobre amor, mas sabia que poderia se apaixonar por aquele homem. Sentia isso no fundo do seu coração, o que a apavorava...”

É impossível não se apaixonar por Elizabeth e ficar encantado por sua determinação, na maneira como ela luta bravamente para dar o melhor para seus irmãos. Sua família é algo tão precioso, que ela está disposta a sacrificar a própria felicidade se esse for o único caminho. Seu relacionamento com Lady Danbury é lindo, ela não a teme como a alta sociedade, muito pelo contrário, aceita suas provocações, as devolve na mesma proporção e aprende muito com isso, são como mãe e filha, e é notório a preocupação e o cuidado de uma para com a outra. E o que falar deste romance... que lindo. Foi tão suave, natural, despretensioso, que vamos nos aproximando e se apaixonando junto com eles.

COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS é uma história envolvente sobre família, superação, perdão e amor. É sobre uma jovem de beleza delicada, pura, dona de um coração generoso, que deseja acima de tudo fazer sua família feliz. Sobre um homem que ao se despir da imagem imponente, encontra seu verdadeiro EU e no meio do caminho aquela capaz de alcançar o que ninguém nunca conseguiu... Seu coração. Um livro para encantar, cativar e conquistar. Que irá te fazer sorrir, ou melhor, gargalhar, mas que também te emocionará e te fará querer pegar nossa protagonista no colo e dizer que tudo ficará bem.

“(...) — Segredos são pesados Elizabeth. É difícil carregá-los só.”

JULIA QUINN tem esse poder de arrepiar, de criar protagonistas femininas fortes, determinadas, inspiradoras, que lutam bravamente e que precisam crescer, sobreviver e vencer em uma sociedade conservadora e machista. E esse ponto foi o que deixou meu coração mais apertado, porque me coloquei no lugar de Elizabeth e me vi desesperada por não encontrar saídas, soluções e maneiras de sustentar a família sem ser se submetendo a um casamento. Por outro lado, a maneira como a autora trabalhou a personalidade, a forma que a protagonista encara a vida, foi simplesmente impecável. Em contra partida também nos deparamos com um homem trabalhador, gentil, inteligente, provocador e divertido, um encaixe perfeito. Como mencionei anteriormente o romance em sua totalidade foi lindo e inspirador.

“Acima de tudo, seja sincera com seu coração. Quando se casar, seja com um marquês ou com um capataz (ou com alguém que seja as duas coisas!), será para a vida toda. Você deve ir aonde o seu coração a levar e nunca se esquecer de que o amor é o presente mais precioso de todos. Dinheiro e posição social são pobres substitutos para um abraço cálido e terno, e há pouca coisa na vida que nos realize mais do que a alegria de amar e de saber que se é amada.”


Caros leitores, se ainda não ficou claro direi com todas as letras: AMEI! Cada página, cada diálogo, cada interação. Me diverti muito, me emocionei e fiquei suspirando. É um clichê bem construído, bem desenvolvido, com aquele jeitinho Julia Quinn de escrever, ou seja, apaixonante. Portanto, se está à procura de uma leitura rápida, envolvente e cheia de momentos deliciosos... COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS, é a opção certa para você.



COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS, Agentes da Coroa, Vol. 2 - Julia Quinn

Leia um trecho da obra: AQUI

Sinopse: Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa. Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquêsna biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa. Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual. É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss. Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada. Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.
Ficha técnica:
Romance histórico | Editora Arqueiro | 2017 | 1° Edição | Páginas | Cortesia | Classificação: 5/5 | SKOOB
COMPRE AQUI: AMAZON - CULTURA - SARAIVA - SUBMARINO - TRAVESSA - FOLHA

CONHEÇA A DUOLOGIA

Como Agarrar uma Herdeira – RESENHA AQUI

Como se Casar com um Marquês 


Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

4 comentários

  1. Oi.
    Eu já li vários livros da Quinn, mas ainda não tive tempo de ler essa duologia. Vi muitas críticas negativas do primeiro, mas parece que todas amam esse segundo livro, que tem romance na medida certo e um toque a mais de diversão. Quero muito ler!
    Beijos
    https://suddenlythings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Miriã. Sou suspeita. Amo o primeiro livro e amei o segundo. Julia Quinn tem uma narrativa muito particular e sempre sou surpreendida com algum elemento em seus enredos. E essa duologia em especial está muito bacana. Se tiver a oportunidade leia <3 Beijos

      Excluir
  2. Um encaixe perfeito mesmo Bia, curti o primeiro mas esse me ganhou <3 Só acho que Elizabeth poderia ter feito menos drama no final haha. A trama é ótima, divertida, leve, cativante e Danbury e seu gato roubam a cena :D :D Resenha linda e livro lindo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lili.
      Simmmmmmmmmmmmm, Elizabeth dá uma surtadinha ali no final, mas acho que foi uma reação ocasionada pelo medo e sensação de traição. Ela ficou desconcertada diante da revelação e isso acabou mexendo muito com ela. kkkkkkkkkk Acho que agiria igual :O SOCORRO. kkkkk
      Beijos

      Excluir