RESENHA: Um Sedutor Sem Coração, Os Ravenels, Vol. - Lisa Kleypas | Editora Arqueiro ( #DesafioHistóricoseEu3 - Meta 4 )


Preparados para serem hipnotizados mais uma vez? Sim, Lisa Kleypas conseguiu outra vez. Com uma narrativa envolvente, simples, sensível, cheia de diálogos sarcásticos e divertidos, ficou impossível não se apaixonar e se deixar viciar por uma história de amor que tinha tudo — e realmente quero dizer TUDO —, para dar errado, mas que tocou carinhosamente direto no meu coração.

(…) Às vezes é preciso amar algo antes que ele se torne digno de amor.”

Devon Ravenel é um homem acostumado a viver ao seu próprio modo. Livre de responsabilidades, preocupações e problemas. Um libertino sedutor, avesso a relacionamentos e superficial. A única pessoa com quem se importa além de si é seu irmão Weston, um jovem mulherengo e autodestrutivo, que bebe de maneira desenfreada sem se preocupar com o amanhã. Mas eis que para a consternação de Devon, seu detestável primo falece e ele é o próximo na fila de sucessão para o condado, herdando assim, não apenas o título de seu primo, como suas propriedades e responsabilidades, e por responsabilidade quero incluir família.

Obviamente que Devon não fica nada satisfeito com sua nova posição, ele jamais almejou se tornar conde e está certo de que não precisa assumir as obrigações que vem junto com ele. Justamente por isso, antes mesmo de visitar a principal propriedade e conhecer as irmãs de seu primo e sua viuvá, já toma uma importante decisão: Irá se livrar de tudo e todos, venderá a propriedade, pagará as dívidas, o que sobrar será gasto da maneira que desejar e, com certeza, de modo mais proveitoso. Entretanto, Devon está prestes a ser confrontado, desafiado e sacudido pela primeira vez em sua vida.

Kathleen não consegue parar de pensar sobre as mudanças que acontecerão em sua vida. Dona de um passado difícil, que deixou marcas profundas em seu coração, tem se feito de forte para sustentar as cunhadas em seu luto. Jovem demais para tamanha responsabilidade, porém incapaz de abandonar aquelas que aprendeu a amar como se fossem de seu próprio sangue. Dona de uma beleza delicada, educada rigidamente, se tornou Lady Trenear após casar-se com o impulsivo Theo, que por uma tragédia do destino faleceu três dias após o casamento. Como se tudo isso já não fosse o suficiente, terá que lidar com Devon, o primo de seu falecido marido e novo Conde. Alguém que mesmo sem conhecer pessoalmente já sabe muito a respeito, um leviano, galanteador e patife. Um homem de quem deve manter distância.

Apensar dos muitos avisos de sua mente e de já ter uma noção de quem terá que enfrentar, Kathleen jamais poderia imaginar o tamanho de seu problema ao se deparar com os irmãos Ravenel. Rudes, cruéis e insensíveis, não demonstram qualquer interesse, ou melhor, nenhuma preocupação com todos que dependem de suas decisões, arrendatários, suas primas e ela própria estão correndo o risco de ficar a merce da própria sorte, expulsas de casa e de tudo que conhecem.

MARAVILHOSO!

(…) Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração para de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada.”

UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO é tipo de livro que te leva por uma viagem no tempo e faz brotar as cenas de um filme em sua mente. É o tipo de leitura que te vicia, encanta, te prende do início ao fim e te faz desejar ter muito mais, nada parece o suficiente. Devon foi o protagonista que mais evoluiu ao longo das páginas, esse homem que a princípio se revelou egocêntrico e indiferente foi aos poucos se permitindo amadurecer, a compreender que suas ações refletiam não somente em sua vida, mas em centenas de outras. Ele encontra um propósito, algo que o motiva a se tornar melhor, é constantemente desafiado e desacreditado, usando isso como combustível para seguir firme em suas convicções e metas. Ele erra muito, toma atitudes ousadas, irrita a mocinha e nós leitores, mas no fim se revela muito maior, um alguém especial e merecedor do nosso carinho. Por baixo de toda atitude “não dou a mínima” batia sim um coração generoso. Kathleen por sua vez nos conquista desde o princípio, ela é determinada, forte, corajosa e apesar de sua teimosia ferrenha que até chega a incomodar um pouquinho, só conseguimos torcer por seu final feliz. Como vocês já podem imaginar, ela é a grande responsável pelas mudanças significativas de Devon, porque ela o instiga a enxergar além do comodismo, do próprio umbigo.

O controle de Devon começou a ceder, pouco a pouco, naquele silêncio carregado de eletricidade. Ele se viu inclinando-se um pouco para a frente, até apoiar as mãos na escrivaninha, uma de cada lado de Kathleen. Ela se viu forçada a recuar e agarrou os braços dele para manter o equilíbrio. Devon esperou que ela protestasse, que o empurrasse, que o mandasse sair dali.”

Opostos que se encaixam perfeitamente, que se completam, que transbordam. Uma família nada convencional, jovens apaixonantes, cheias de vida e carisma, buscando um pedacinho de felicidade mais que merecida. Emoções, reviravoltas, a certeza de ter sido cativa mais uma vez e a conclusão de uma leitura que já deixou saudades e ansiedade pelo que está por vir.

“— Há momentos na vida em que todos temos que suportar o insuportável.”

Lisa Kleypas possuiu algumas particularidades em sua escrita que a tornam única. Ela sabe dosar perfeitamente cada elemento usado no texto — romance, sensualidade, provocação, diversão e drama —, nada é exagerado ou fora do lugar, muito pelo contrário, existe um cuidado aos detalhes. Suas séries sempre envolvem relações familiares, ou laços de amizade, com personagens donos de personalidades distintas e espirituosas. Os primeiros volumes além de trazer o casal protagonista e sua história de amor, chega com a difícil missão de apresentar os próximos e os possíveis obstáculos a serem enfrentados e isso é muito maravilhoso, pois já ficamos em expectativa pelo que virá. Outro ponto que quero ressaltar é o modo como ela sempre forma os casais mais improváveis e os torna perfeitos, somos capazes de acompanhar a construção do romance, de perceber as atitudes que entregam o sentimento, antes mesmo deles se darem conta de que já é amor. O resultado é sempre apaixonante e deixa o leitor querendo mais.

Se você está a procura de um romance envolvente, com cenários bem descritos, personagens cativantes, e um romance de roubar o fôlego, UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO é a opção perfeita para você. E já deixo avisado, a autora tomou a liberdade de nos “presentear”, na verdade nos torturar com uma degustação do que está por vir no segundo volume da série – UMA NOIVA PARA WINTERBORNE –, aguenta coração.


UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO

* Leia um trecho da obra: AQUI

Sinopse: Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.



Essa leitura cumpre a minha quarta leitura para o #DesafioHistóricoseEu3 e corresponde a meta – LER UM ROMANCE HISTÓRICO DE UMA AUTORA QUE ESCREVE OUTROS GÊNEROS.

Para saber mais sobre o Desafio e todas as suas metas – CLIQUE AQUI – lá você encontrará o passo a passo de como participar, regras e como concorrer aos prêmios. Você também encontrará um post com sugestões de leituras para que se cumpra cada meta – AQUI.


Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

2 comentários

  1. Bia linda, que resenha maravilhosa, eu li , amei e escolhi a meta "De um autor bestseller" pra bater no desafio com ele. Acho que Lisa tem uma capacidade de criar famílias encantadoras e de nos transportar e fazer querer fazer parte dela, o que me encanta. Os personagens dessa série me fizeram lembraram em algumas características os Hathaways, outra série que amo, e achei isso positivo. Os protagonistas desse são maduros e fortes já que são os primeiros e vão ser os chefes da família. Sobre os secundários já amei West, preciso do livro dele e já sei que vai ser o meu favorito haha (no primeiro livro dos Hathaways já sabia que Leo seria meu preferido e não deu outra :D ) e apesar de ter achado Helen sem muita força nesse livro tô esperando vê-la crescer em sua própria história e me encantar...
    Linda resenha Bia e já quero o próximo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmmm, como amo a escrita da Lisa. Ela consegue nos envolver e viciar desde o primeiro livro. Amo que ela use como fundo esse ambiente familiar. Acho que Helen será uma grande surpresa, estou ansiosa demais. Obrigada por seu carinho, e por estar participando do Desafio <3 Beijoooos

      Excluir