RESENHA: As Sete Irmãs: A História de Maia – Lucinda Riley | Editora Arqueiro


Adotadas dos quatro cantos da terra ainda bebês, cada uma de um lugar diferente, em épocas distintas, mas que juntas formaram as sete irmãs, ou melhor, seis, já que teoricamente uma delas jamais foi “encontrada”, o que por si só já gera curiosidade, já que sempre esperaram pela sétima filha e ela por algum motivo nunca chegou. Elas são Maia, Alcíone (Ally), Astérope (Estrela), Celeno (Ceci), Taígeta (Tiggy) e Electra, filhas adotivas de Pa Salt, que as nomeou em homenagem a sua constelação favorita – As Sete Irmãs -, acolhidas por ele para que pudesse protege-las. Cresceram em meio a uma “bolha” fantástica, levando uma vida abastada e de luxo, cada uma com sua personalidade e beleza. Porém, uma coisa sempre seguiu em mistério, o próprio Pa Salt, já que pouco as meninas sabem sobre ele e suas viagem, o que parece que irá permanecer assim, já que Pa Salt falece de uma hora para a outra, deixando em posse de seu advogado um testamento, cartas para suas meninas e pistas sobre onde cada uma foi encontrada. Agora cabe a elas ler ou não as últimas palavras do pai e se arriscar em busca de suas origens.

Maia foi a primeira a ser adotada, é a irmã mais velha e por três anos reinou sozinha. Ela tem muita facilidade com idiomas e por essa razão sempre os estudou e optou pela profissão de tradutora de livros. Uma mulher elegante, de beleza delicada, mas que faz de tudo para se esconder, a verdade é que Maia também possui alguns segredos e é justamente por essa razão que acaba aceitando embarcar em busca de suas origens, tentando descobrir mais sobre si e segundo as coordenadas deixadas pelo seu pai, seu destino é o RIO DE JANEIRO. E é nessa mudança de cenário que embarcamos em uma busca pela história de Maia e seus antepassados, desembarcando não apenas no Rio nos dias de hoje, tendo com guia um autor carismático e historiador, mas também em um Rio de 1927, mergulhando em um romance arrebatador e na construção do nosso Cristo Redentor.

“Nunca deixe o medo decidir seu destino.”

Que leitura incrível. Que história arrebatadora, envolvente e rica. Estou sem palavras, fazia tempo que não me sentia tão empolgada com uma leitura desta maneira. Lucinda tem o dom de me surpreender e roubar o fôlego.

“— Bem, como um verdadeiro artista sabe, toda regra existe para ser quebrada, toda barreira, para ser derrubada. Só temos uma vida, mademoiselle, e devemos vivê-la da maneira que quisermos.”

AS SETE IRMÃS é uma história ficcional, mas que se alicerça sobre acontecimentos reais, que tem como cenário o Rio de Janeiro, a construção do Cristo Redentor e a fascinante Paris. Começamos conhecendo Maia e todo seu esforço para desvendar a sua origem e quando nos damos conta, já estamos imersos na história de sua bisavó e arrepiados pela intensidade de emoções e sentimentos. Porque uma das características da Lucinda é essa mescla entre o passado e o presente, o que nos entrega uma história encorpada, pois por mais que a obra tenha sim, uma protagonista, existe algo muito maior acontecendo, toda a construção de uma trama que vai muito além dessa determinada história, hipóteses e perguntas que provavelmente só serão respondidas no último volume da série. O enredo não é entregue de bandeja, existe um plano de fundo, o romance vai surgindo gradativamente, vamos colhendo peça por peça de um imenso quebra-cabeça e quando colocamos a última é uma explosão.

“(...) a vida era uma gangorra de prazer e dor. Nada permanecia igual de um dia para o outro e nada era certo.”

Maia me conquistou com sua simplicidade, mas quem roubou totalmente meu coração foi outra jovem, que vocês irão conhecer ao ler – Bel -, uma jovem cheia de sonhos, a frente de seu tempo, inteligente, capaz de sacrificar a própria felicidade em nome daqueles que ama, que sofreu, amou, se arriscou, que me emocionou.

“— Acho que muitas vezes não merecemos o que temos. Mas de repente, no futuro, recebemos o que merecemos.”

Estou apaixonada, encantada. Louca pelos próximos volumes da série. Lucinda não entrega apenas uma história incrível de amor, ela entrega todo seu carinho e respeito pelo nosso país, nos fazendo sentir homenageados. O Rio sempre foi algo muito distante pra mim, sou nascida e criada no interior de Mato Grosso e ao ler a história de Maia me dei conta de que nunca havia parado para pensar na história do Cristo, de como ele foi criado e por quem, e então essa autora brilhante chega e me dá uma surra de aprendizagem. Que narrativa rica.

Conclui essa leitura ansiando pelos próximos livros da série, preciso! E quero convidar vocês a lerem comigo, venha conhecer, se apaixonar e se envolver.

Parabéns Editora Arqueiro, que capa linda, tão coerente com a trama. Diagramação simples e impecável. É carinho em forma de livro.

Como vocês podem ver, acabei me empolgando com a história e, portanto, também gravei um vídeo falando sobre minha experiencia de leitura.





As Sete Irmãs: A História de Maia - Lucinda Riley

Sinopse: Lucinda Riley já vendeu mais de 8 milhões de livros no mundo. “Uma leitura cativante.” – Daily Mail “O projeto mais ambicioso e emocionante da autora… um labirinto sedutor de histórias, escrito com o estilo que fez de Lucinda Riley uma das melhores escritoras atuais. Um começo épico para uma série épica.” – Lancashire Evening Post. Em “As sete irmãs”, Lucinda Riley inicia uma saga familiar de fôlego, que levará os leitores a diversos recantos e épocas e a viver amores impossíveis, sonhos grandiosos e surpresas emocionantes. Filha mais velha do enigmático Pa Salt, Maia D’Aplièse sempre levou uma vida calma e confortável na isolada casa da família às margens do lago Léman, na Suíça. Ao receber a notícia de que seu pai – que adotou Maia e suas cinco irmãs em recantos distantes do mundo – morreu, ela vê seu universo de segurança desaparecer. Antes de partir, no entanto, Pa Salt deixou para as seis filhas dicas sobre o passado de cada uma. Abalada pela morte do pai e pelo reaparecimento súbito de um antigo namorado, Maia decide seguir as pistas de sua verdadeira origem – uma carta, coordenadas geográficas e um ladrilho de pedra-sabão –, que a fazem viajar para o Rio de Janeiro. Lá ela se envolve com a atmosfera sensual da cidade e descobre que sua vida está ligada a uma comovente e trágica história de amor que teve como cenário a Paris da belle époque e a construção do Cristo Redentor. E, enquanto investiga seus ancestrais, Maia tem a chance de enfrentar os erros do passado – e, quem sabe, se entregar a um novo amor.
Ficha técnica:
Romance | EditoraArqueiro | 2016 | 480 Páginas | As Sete Irmãs, Vol. 1 | Cortesia | Classificação: 5/5 | Onde Encontrar: SKOOB - AMAZON

Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

2 comentários

  1. Olá! Eu achei muito interessante a premissa do livro, adorei também saber que um dos cenários é o Rio de Janeiro. Gosto quando o autor mistura acontecimentos reais com a ficção. Pretendo ler futuramente este livro.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooiii. Esse livro é maravilhosoooooooo, muito rico, bem construído, intenso. Se tiver a oportunidade leia mesmo. Beijos

      Excluir