RESENHA: O Jardim Esquecido – Kate Morton | Editora Arqueiro


Resenhar um livro da Kate Morton é sempre um desafio delicioso. Ela não cria apenas uma história, mas um verdadeiro labirinto delas que por vezes nos guia pelos caminhos das respostas e outros que só geram mais perguntas. E acho que é justamente isso que mais amo em sua escrita, o fato de que suas histórias vão sendo apresentadas em doses homeopáticas, construídas página por página, capítulo por capítulo. Não existe predefinições, horizontes e possibilidades. Tudo é uma enorme tela em branco, na qual juntos vamos colorindo a cada palavra lida, e o resultado é surpreendente e completamente inesperado.

O JARDIM ESQUECIDO nos apresenta três mulheres que aparentemente possuem apenas uma ligação – um livro. Três épocas diferentes que se desdobram no mesmo final. Três vidas marcadas pelo abandono, dor e segredos. E a pergunta que permeia tudo isso, é o que as une de fato? Por que mesmo tendo vivido em épocas distintas a história de uma cruza perfeitamente com a história da outra? E caros leitores, por mais que você vá se preparando para o que está por vir, te garanto que ainda assim a queda e o partir do seu coração, será inevitável.

“Um barulho, e então o passado desapareceu, disperso nas sombras como fumaça, ofuscado pelo presente, mais brilhante, mais barulhento...”

Essa história mexeu profundamente comigo, chorei muito a cada página que lia, Kate possui uma sensibilidade muito particular, uma maneira de descrever os personagens que por diversas vezes nos fazem acreditar que estamos olhando dentro de seus olhos. Vivendo aquele momento junto a eles. A construção de sua narrativa por mais que seja densa e descritiva não me incomoda, gosto forma como ela nos presenteia com os detalhes, como explora cada cenário, o que nos permiti visualizar o acontecimento como se estivéssemos vendo um filme. Outro ponto que muito me agrada é a mescla de épocas diferentes, o mergulho no passado que intercalado com o futuro vai permitindo a resolução do quebra-cabeça. Enfim, acredito que ficou claro que sou uma grande fã de sua escrita.

“(...) Estranho pensar que a vida poderia ter sido completamente diferente se nunca tivesse visto a mala, se não tivesse sido curiosa o suficiente para abri-la e ver o que havia lá dentro.”

Essa resenha está um pouco diferente das demais pois não consigo falar do livro sem acabar trazendo algum spoiler e olha que tentei, tenho uma página gigante com minhas anotações e já a reescrevi umas três vezes e nenhuma parece boa o suficiente. Mas irei tentar falar um pouquinho de cada protagonista.

Elisa a que mais me conquistou e que provavelmente a que mais me fez sofrer, teve uma infância terrível, uma vida marcada por perdas e que ainda assim conseguiu transformar dor em inspiração/criatividade. Que conseguiu se levantar e se reinventar mesmo quando o mundo se provava um lugar cruel e os seres humano verdadeiros monstros. Dona de um coração generoso, por vezes altruístas demais, sonhadora, buscando desesperadamente por amor e aceitação.

“(...) Um futuro que agora era passado, uma vida que tinha terminado. E, no entanto, isso ainda importava, importara para Nell e importava para Cassandra. Este quebra-cabeça era sua herança. Mais do que isso, era sua responsabilidade.”

Nell que foi encontrada sozinha em meio a um porto na Austrália, que por mais que tenha crescido em um lar de muito amor teve toda sua vida virada de cabeça para baixo após uma revelação que transformou sua existência em uma página em branco, apagando a mulher que um dia foi, levando-a por uma jornada em busca de si mesma, de sua origem, de sua história. E que mesmo nutrindo o desejo de se redescobrir, acabou abrindo mão por culpa, por algo que talvez nem ela conseguisse explicar.

Cassandra, que precisava de algo que a renovasse, que a trouxesse de volta à vida e que vêm na forma de um testamento deixado por sua avó. Partindo em uma jornada de busca por respostas, por desvendar aquilo que sua avó desejava que ela descobrisse. Que corajosamente não desistiu até mesmo quando tudo parecia doloroso demais.

E poderia incluir aqui como protagonista também o próprio jardim, que serviu como ponto perfeito de cruzamento, onde três caminhos se encontraram, marcando para sempre a vida daqueles que ali estiveram.

“(...) Só estou dizendo que, talvez, o jardim só estivesse se escondendo das pessoas que ele não queria ver.”

O JARDIM ESQUECIDO, é uma história sobre se descobrir. Sobre viver. Sobre lutar. É uma história permeada por mistérios e segredos, arrebatadora e viciante que emociona e cativa na mesma proporção. Existe uma melancolia, uma nostalgia, uma intensidade que bate bem no fundo do nosso coração. Família, perdas, traições, perdão e amizade, passado e futuro colidindo, trazendo à tona aquilo que por tantos anos permaneceu oculto.

Só tenho a agradecer a Editora Arqueiro por relançar a obra com tanto esmero e carinho. Que edição linda, mesmo o e-book está maravilhoso.


O JARDIM ESQUECIDO - Kate Morton

Sinopse: Kate Morton já vendeu mais de 10 milhões de livros no mundo. Nova edição do livro de maior sucesso da autora. Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas. Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família. Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra percebe que Nell guardava uma série de segredos e fica intrigada sobre o passado da avó. Enchendo-se de coragem, ela decide viajar à Inglaterra em busca de respostas. Suas únicas pistas são uma maleta antiga e um livro de contos de fadas escrito por Eliza Makepeace, autora vitoriana que desapareceu no início do século XX. Mal sabe Cassandra que, nesse processo, vai descobrir uma nova vida para ela própria. Publicado originalmente como O jardim secreto de Eliza. “O jardim esquecido é encantador e hipnotizante, repleto de mistérios e suspense que deixarão o leitor ávido pelo final.” – The Guardian “Maravilhosamente escrito, este é um dos melhores livros do ano.” – Woman’s Day “Um romance cheio de reviravoltas que mantêm o leitor intrigado até os capítulos finais.” – Evening Gazette
Ficha técnica:
Romance, Mistério | Editora Arqueiro | 2018 | 1º Edição |496 Páginas | Cortesia | Classificação: 4/5 | Onde Encontrar: SKOOB - AMAZON

Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

0 comentários