Uma Mulher na Escuridão – Charlie Donlea | Faro Editorial

Tecer uma teia elaborada, cheia de emaranhados confusos e até mesmo falsos enquanto tenta encobrir o verdadeiro fio, requer no mínimo muita sagacidade e maestria. É preciso estar atento aos detalhes, as pequenas nuances que a narrativa terá que apresentar ao longo dos capítulos, a tudo aquilo que fica no não dito. É um jogo de sedução com as palavras, um quebra-cabeça confuso, um labirinto de sentimentos e sensações. É o que o autor CHARLIE DONLEA criou em UMA MULHER NA ESCURIDÃO. Uma obra cheia de reviravoltas, que vicia e cativa, ao mesmo tempo em que choca e surpreende, apresentando um final de arrepiar e emocionante.

RORY MOORE é perita em reconstituição criminal, ou melhor, ela é a melhor perita em reconstituição criminal. Uma mulher conhecida por suas habilidades fora do comum, capaz de enxergar aquilo que passou despercebido pelos demais, mas também por ser arredia, distante, diria até que misteriosa, avessa a contato humano. Optando por sempre trabalhar sozinha, sem interferências, traçando sua própria metodologia, não se misturando com os demais do departamento e não se importando com o “social”. Mas engana-se quem pensa que ela vive apenas disto, Rory também é a melhor em restauração de bonecas, uma habilidade que usa como hobby, que faz apenas pela tranquilidade que a técnica lhe proporciona, algo que aprendeu com sua tia-avó, uma mulher a quem muito ama.

“O mundo de Rory Moore era um santuário fortificado no qual poucas pessoas recebiam permissão para entrar, e um número ainda menor recebia permissão de entender.”

Afastada do departamento de polícia por tempo indeterminado – por opção -, Rory tem passado seus dias desfrutando de sua segunda habilidade. E é por meio dela, que têm suas “férias” interrompidas, ao atender o pedido desesperado de um pai, que teve sua filha morta por um assassino que nunca foi encontrado, Rory se coloca novamente em contato com o meio ao qual já está acostumada, investigação, crimes, justiça... O que ela não esperava ao fazer isso, era se ver inserida em outro caso, um ainda mais grave e chocante. Um suposto assassino em série da década de 70/80, conhecido como O LADRÃO, que está prestes a ganhar liberdade após quarenta anos de prisão.

“(...) A sociedade está mais interessada no Ladrão do que nas vidas que ele roubou.”

Algo sobre o caso não encaixa! Existe uma névoa, uma sensação de inquietude que arrasta Rory, cada vez mais para dentro desta investigação, que rouba seu sono e a deixa obcecada pelo desfecho. Cada passo rumo a verdade é incerto e perigoso, capaz de mudar para sempre sua vida.

Que personagem incrível! Rory é uma mulher de fibra, consciente de suas habilidades, que se entrega e mergulha com tudo nos casos em que trabalha. Existe uma inquietação dentro de si, que a torna obcecada, necessitada de resolver aqueles casos que as autoridades não foram capazes, ela cria laços, algo quase que sobrenatural com as vítimas pela qual está buscando justiça e sua determinação é louvável. Quando se depara com o caso do ladrão, tudo sobre ele GRITA problema, ela não tem a intenção de se envolver, mas quando fica sem saída e passa a se aprofundar para ser capaz de participar de uma audiência, tudo se transforma. Existem segredos muito bem encobertos, verdades implorando para serem reveladas, e é aí que ela embarca em uma busca alucinante e agonizante pelo não dito, não revelado e oculto a mais de quarenta anos.

“(...) Alguns escolhem a escuridão; outros são escolhidos por ela.”

UMA MULHER NA ESCURIDÃO é um livro genial. Um livro com protagonistas femininas incríveis. Elas são inteligentes, destemidas, determinadas, inquietas. É fascinante ver a maneira como foram construídas, suas personalidades fortes e como suas vidas vão se entrelaçando ao longo de cada capítulo. É difícil não cair nas muitas pistas falsas, seguir pelos caminhos sem saída e por mais que desconfiemos, quando se trata de Charlie, a chance de quebrar a cara e estar errado são sempre grandes. UAU... sabe aquele livro que arrepia, de emoções reais e quase que palpável, que tem um final enlouquecedor e eletrizante? Exatamente, é uma leitura cheia de adrenalina, de surpresas, de angustia... simplesmente MARAVILHOSO.

“(...) Contudo, às vezes, a vida gerava oportunidades imprevistas. Chamadas inesperadas que tornavam certas transgressões palatáveis no quadro mais amplo, quando a vida nos pedia mais do que pensávamos que poderíamos dar.

Me enfurece não poder dar detalhes... soltar spoiler e explodir, não poder falar os nomes, ou um pouco mais do enredo em si. Mas qualquer deslize quando se trata de um livro tão bem elaborado e amarrado pode ser uma pista muito grande, estragando sua experiencia de leitura e me nego a fazer isso. Por essa razão, preciso me agarrar a esperança de que vocês irão confiar na minha palavra, no quanto este livro é genial, emocionante e arrepiante. Leiam, leiam, leiam... vocês não irão se arrepender. Se você está à procura de um suspense de roubar o fôlego, de sentir na pele... apenas se joga nessa leitura, as muitas reviravoltas que o enredo dá, os cenários muito bem explorados, as relações familiares abordadas, tudo é muito intenso, visceral e contagiante. E o autor ainda teve a genialidade de apresentar uma protagonista com uma "condição" pouco debatida em livros e até mesmo no nosso meio social, a maneira como descreveu as nuances da mesma, a forma como explorou sua vulnerabilidade, ao mesmo tempo em que não "fragilizou", muito pelo contrário, deu força, voz e um talento absurdo, só enriqueceu a trama ainda mais.

O que mais amo na escrita do Charlie, é que seus livros já começam crus, intensos e agonizantes. Sempre temos este primeiro contato doloroso – acredito que seja a assinatura do autor -, apresentar no primeiro capítulo o crime, o caso que dará vida a tudo que está por vir nas próximas páginas. Acompanhamos com detalhes todo o fascínio do criminoso, sua brutalidade, seu prazer e isso logo de cara, dando as boas-vindas, já solicita a primeira respiração profunda. E daí para frente é um mergulho no desconhecido, onde nada é o que realmente parece ser, onde caminhos se cruzam e se confrontam. Seus enredos são sempre crescentes, cheios de vertentes e ciladas, com personagens que ganham voz a cada capítulo, temos sim um protagonista, mas isso não diminui o impacto que todos os demais geram com suas histórias. É um misto de emoções, de contradições, de sentimentos... é impossível largar o livro antes de chegar à página final.

Marquem esse nome caros leitores, Charlie Donlea está deixando sua marca, fincando raízes no gênero e provando que não está para brincadeira. Mais uma vez ele provou para que veio e demonstrou o quanto pretende permanecer no topo. Já estou desesperada por mais do autor, louca para saber como ele fará para se superar mais uma vez. Que enredo ele tem planejado e construído para seus leitores, com certeza será outra obra inesquecível.




UMA MULHER NA ESCURIDÃO

Sinopse: Ao limpar o escritório de seu pai, falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso semsolução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista — até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades não-ortodoxas de investigação levaram à sua identidade. Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional pelo assassinato de Angela: o único crime pelo qual foi possível prendê-lo. Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ser o assassino de Angela. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que Angela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão.Traçar conexões entre passado e presente é a única maneira de colocar um ponto final naquele pesadelo, mas até Rory pode não estar preparada para a verdade...
Ficha técnica:
Suspense, Policial | Faro Editorial | 2019 | 1º Edição | 304 Páginas | Cortesia | Classificação: 5/5 ❤ | Onde encontrar: SKOOB - AMAZON


CONHEÇA AS OUTRAS OBRAS DO AUTOR:

- A Garota do Lago – Resenha AQUI
- Deixada para trás – Resenha AQUI
- Não Confie em ninguém – Resenha AQUI
Saiba mais obre o autor e suas obras - AQUI

Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

0 comentários