Que assim seja, amor — Juliana Parrini


Vou iniciar esse texto confessando uma mania muito feia como leitora: Eu leio a última página antes de começar um livro!

Sei lá, sempre achei que seria uma ótima forma de evitar decepções. Ansiedade o nome disso, eu sei.
Tenho tentado fugir dessa mania, e dessa vez, consegui e fico feliz por ter resistido.

Sabe aqueles momentos na vida em que parece que tudo acontece como precisa acontecer? Foi isso que aconteceu quando decidi ler o livro da Juliana. Não li a última página, não sabia o motivo na hora, mas entendi ao final de tudo, não vou falar mais, pois só lendo para entender.

Não vou aqui fazer uma resenha profissional, nem colocar motivos para que leiam o livro, nada disso.
Vou apenas deixar meu coração falar, porque só ele pode expressar.

Nunca havia lido nada da Juliana, mas venho observando esse livro há muito tempo, a premissa me chamou atenção, afinal, um romance com um padre como protagonista, gera uma certa curiosidade.

No fundo, lá no fundo eu sabia que a leitura me deixaria ansiosa, percebi isso nas primeiras páginas (foi muito esforço não ir lá para o fim do livro, palmas pra mim).

Com uma escrita fluída, a autora nos apresenta detalhes capazes de nos fazer viajar diretamente para Monte Belo do Sul. Sério, foi possível sentir o gosto do vinho, o frio da cidade, a chuva fria, consegui ver a praça, o bistrô do Pablo, a casa Fontenelle...

Mas não foi só isso que senti. Não foi apenas uma viagem a um lugar que nunca pisei, mas sinto que conheço. Foi mais além, eu me conectei com Filipe e Aurora, eu os conheci, de uma forma profunda que não consigo explicar em palavras, mas os conheci. Senti suas dores, seus amores suas dúvidas.

Aurora é um pouco de cada uma de nós, cheia de sonhos e coberta de dúvidas. Uma jovem que mesmo sem ter noção, queria encontrar seu lugar no mundo e encontra, mas o seu lar é justamente alguém que não pode ser, que não está disponível.

Filipe, ah Filipe, como eu queria poder ser sua amiga. O homem digno que acompanhei a cada página virada não decepcionou em um só momento. O amor a Deus, o amor à Aurora (que com absoluta certeza foi um presente de Deus para a vida desse personagem), seu destino, suas descobertas me encantaram. Como amei suas escolhas, como te admirei por entender que mesmo sendo pouco, é para a eternidade.  

É bom ler um romance com personagens maduros, onde as questões apresentadas são realmente adultas. Onde tudo é bem crível, tão real que nos leva para dentro da história. Eu poderia perfeitamente ser uma moradora local, vendo tudo acontecer, pois foi exatamente como me senti.

Como disse, não vou resenhar o livro, não estou aqui pra isso, e nem preparada emocionalmente depois do turbilhão de sensações que vivi.

Só quero deixar aqui, toda a minha admiração e agradecer a Juliana por esse livro. Por essa história dolorosamente linda. E dizer que, eu admiro sua coragem e entendo que tudo aconteceu como tinha que ser!

Se você gosta de romances com uma boa carga de realidade e emoções fortes, “Que assim seja, amor” é o livro certo para você!
“— O que Bruno te disse quando escolheu largar o seminário? — Pergunto. — Você não falou.

— Ah! — ela sorri. Parece se recordar do dia. — Ele disse que o amor é o mais próximo de Deus.
E novamente, me sinto nocauteado.”
Terminei o livro totalmente destruída, mas de forma alguma arrependida. Valeu a pena cada página lida e cada lágrima derramada!


QUE ASSIM SEJA, AMOR - Juliana Parrini

Sinopse: Como pode o mais belo amor ser proibido? Filipe é transferido para uma pequena cidade da Serra Gaúcha para dar início a sua vida no batistério. A transferência acontece no momento perfeito, pois tudo o que o jovem deseja em seu coração é um recomeço. Disposto a se dedicar de corpo e alma a sua vocação, ele descobrirá que nem sempre a vida acontece como planejado e um amor inesperado criará, até então, um caminho desconhecido em seu coração. Aurora nasceu e cresceu em meio às videiras da vinícola Casa Fontenelle. Enóloga de profissão, Aurora é apaixonada pela ciência na produção dos vinhos, desde o terroir ao prazer da degustação. Seu desejo é provar o valor do seu trabalho de anos ao seu chefe mentor e amigo, Otto Fontenelle. Diante do maior desafio da vida, ela conhece o homem que resolve permanecer em seus pensamentos. O único que jamais poderia amar e, pedir ajuda a Deus, não está nos seus planos. Uma história de fé, compaixão e segredos. Um amor impossível e duas pessoas dispostas a lutar contra o mais profundo dos sentimentos.
Ficha técnica:
Romance | Juliana Parrini | 2018 | 1º Edição | 320 Páginas | Classificação: 5/5 | Onde encontrar: SKOOBAMAZON

Você pode gostar também...

0 comentários