Alma? - Gail Carriger | Editora Valentina (O Protetorado da Sombrinha, Vol. 1)

O mundo está diferente, seres humanos coexistem com vampiros e lobisomens em uma sociedade que se adaptou e desenvolveu novas regras. Regras essas, importantes para o bom convívio e evolução de cada “espécie”, mas em meio a eles existe ainda uma criatura mais rara e poderosa, os que nasceram sem “almas”, também conhecidos como seres Preternaturais – aqueles que não são nem naturais, nem sobrenaturais -, que com um único toque podem neutralizar o poder de qualquer criatura. E Alexia é um destes seres raros.

Filha de um italiano de quem herdou sua condição especial e solteirona convicta, Alexia é o tipo de mulher prática, inteligente, sagaz e dona de uma língua sem freio, sabe muito bem o que quer e não está disposta a se curvar perante as regras da sociedade vitoriana, nem mesmo quando convidada a um evento que não servem o tipo de chá que ela considera adequado. Dando seu próprio jeitinho acaba por se afastar da aglomeração ali presente e assim que se vê sozinha, bem... ela não está exatamente sozinha e acaba sendo atacada por um vampiro fora de controle e muito determinado em ser frustrante. A confusão está armada, de um lado um vampiro morto e Alexia, e do outro o imponente Lorde Conall, um lobisomem líder de seu clã, enviado pela rainha Vitória para investigar o ocorrido.

“- Ninguém em sã consciência descreveria a srta. Tarabotti como uma covarde. Quando ameaçada, ela revidava prontamente. Talvez por ser preternatural ou por sua péssima tendência à teimosia.”

O que parecia ser um caso isolado não demora a se revelar um emaranhado ainda mais complexo, colocando Alexia no centro de aparecimentos e desaparecimentos inexplicáveis. O que de fato tem acontecido na alta sociedade?


Alma? Se revelou uma leitura completamente diferente do que eu de fato, esperava. E isso foi muito gratificante. Primeiro porque temos uma “mistura” de vários gêneros literários, temos romance de época, policial e fantasia. Depois porque é o tipo de leitura com alívios cômicos muito presentes, nos diálogos e na maneira como Alexia desafia Conall. É sempre importante frisar que a história se passa na época vitoriana, ou seja, uma época onde as mulheres deveriam ser recatadas, discretas, suaves, para que assim não se colocassem em situações tidas como inadequadas e por consequência manchando a reputação da família, onde o decoro e conservadorismo era o mínimo exigido, e Alexia está inserida neste cenário, só que ela nasceu sem alma, então sua visão é um pouco diferente, o modo como ela encara algumas coisas, como ela enxerga outras e como questiona a sociedade, acabam se mostrando a frente do tempo. Ela quer participar da investigação, ela quer conhecer todas as informações, ela quer ser útil, e não ficar apenas bordando, pintando, sentada em casa.

“A Srta. Tarabotti costumava manter sua condição de não ter alma em segredo, até mesmo para a própria família. Contudo, não era uma morta-viva, e sim um ser humano, que respirava e simplesmente… carecia de algo.”

Outro ponto que também chama atenção na história é o relacionamento familiar de Alexia, a forma como a mãe a enxerga em relação as outras duas filhas, sempre a menosprezando, diminuindo, a julgando por ser parecer mais com o pai – italiano, e por consequência, ter a pele escura, o nariz mais avantajado, características que não era tidas como belas no meio em que estão vivendo. E isso é algo que gera desconforto.

Quanto ao romance, eu gostei muito da forma como ele foi construído. Alexia não é uma jovem dada a sentimentalismo, ela não busca romance, mas acaba tendo alguns sentimentos despertos por Conall, que por sua vez é alguém em posição superior a dele e também muito taciturno, sua forma de se “envolver” está limitada ao que ele vive na matilha, e portanto isso gera mais algumas muitas cenas engraçadas. Foi realmente divertido vê-los derrubarem as barreiras auto impostas e por consequência atingir um ao outro, no melhor estilo te odeio, mas no fundo te amo.

Para quem busca leitura com protagonistas femininas fortes, dona de personalidade forte e altas doses de risadas, como para quem gosta de romance de época, romance sobrenatural e investigação, fica aqui essa dica muito especial. Com certeza darei continuidade na leitura, pois acredito que Alexia ainda tenha muito a nos entregar.

A Série O Protetorado da Sombrinha, é composta por cinco livros, sendo eles: Alma?, Metamorfose?, Inocência?, Coração? e Eternidade?, todos já publicados aqui no Brasil pela Editora Valentina.



ALMA? - Gail Carriger

Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta. E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido. Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado? Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.

Ficha técnica:

Steampunk | Gail Carriger | O Protetorado da Sombrinha, Vol. 1| Editora Valentina | 2º Edição | 2015 | 308 Páginas | Tradução: Flávia Carneiro Anderson | Cortesia | Classificação: 4/5 | Onde encontrar: SKOOBAMAZONLOJA VALENTINA

Até a próxima! Bye.


Você pode gostar também...

0 comentários