Indicação de Dorama: Chicago Typewriter

Desde que comecei a escrever a coluna por aqui, uma coisa passava em minha mente constantemente: 

Preciso indicar “Chicago Typewriter”, porém, como tudo nesse drama é grandioso, não sabia ao certo como falar dele pra vocês. E confesso, ainda me faltam palavras. Não acredito que nada possa dizer aqui, será suficiente para expressar o que essa história significa. 

Mas, semana passada o indiquei para um amigo (indico para todo mundo sempre, dá pra ver o amor que tenho por esse k-drama), e decidi assistir novamente o dorama. Achei que vendo pela segunda vez, estaria mais preparada, mas que ledo engano, bastou três episódios, até eu me ambientar novamente com a trama para as emoções transbordarem. É sério, fico arrepiada a cada novo episódio. 

Não vou resenhar o drama, até porque, não acho que seria capaz de aqui passar em palavras a grandiosidade da história. Porém, vou contar um pouco sobre ele.

Sinopse: Escritores que viveram durante a ocupação da Coreia pelos japoneses nos anos 1930 reencarnaram como Han Se Ju (Yoo Ah In), um escritor famoso e autor de best-seller; Yoo Jin Oh (Ko Gyung Pyo), um misterioso escritor fantasma; e Jeon Seol (Lim Soo Jung), uma fã de Han Se Ju.

Vamos lá, as sinopses dos k-dramas, nem de longe te oferecem um real panorama da história, pois “Chicago Typewriter” é muito mais que a história de três pessoas que têm as vidas entrelaçadas no passado e no presente. É uma história sobre o amor, amizades que ultrapassam as barreiras do tempo e da vida. É sobre luta e revolução. Sobre abrir mão de vaidades em prol de um bem maior. 

A história é dividida em dois momentos: Em 1930, época que a história conta como foi viver em uma Coreia dominada pelos japoneses, onde esses três destinos são entrelaçados, é lindo ver como os jovens coreanos revolucionários lutaram e deram suas vidas pelo país, buscando a independência do Japão.


E na atualidade, onde os três voltam a se encontrar de uma forma bastante inusitada, que só assistindo para entender. Han Se Ju é escritor, tanto nessa vida, quanto na vida passada, sempre que me pergunto o motivo dessa história ter mexido tanto comigo, a resposta é a mesma: Eu me identifiquei com ele, com suas dores. Seu bloqueio criativo me atingiu em cheio, pois só quem ama escrever e não consegue, sabe o quão difícil é.

Confesso também que, no começo alguns personagens me irritaram, toda a adoração e loucura da Seol pelo Han Se Ju me deixava incomodada, a antipatia por ela era grande, assim como a fase esnobe e esquentadinha do Han. 

Porém, com a chegada do terceiro elemento desse triângulo, conforme as coisas foram se revelando e as histórias das vidas passadas com a atual se entrelaçando, foi impossível não os amar incondicionalmente. Foram muitas lágrimas derramadas em meio à sorrisos por aqui, viu? E digo mais: Jeon Seol, você é a protagonista mais foda que já vi, desculpe o ranço inicial. Eu estava errada sobre você, sua maravilhosa! 

E sobre o terceiro personagem, não vou dizer muita coisa, só que o termo “escritor fantasma” nunca mais será visto da mesma forma por mim. 

Enfim, falei, falei e não sei se falei muita coisa, pois toda vez que decido falar sobre Chicago, as emoções são maiores que a razão e tá tudo bem, essa história merece!

O que posso dizer é que: 

Chicago Typewriter não é apenas uma série, é uma obra de arte televisionada. O melhor dorama de fantasia que já assisti e eu gostaria muito que, vocês deixassem de lado o pré-conceito que muitos têm a respeito de obras que não são estadunidenses, pois garanto que um novo mundo cheio de séries boas se abrirão para vocês.

“Uma caneta é mais forte do que uma faca. Uma máquina de escrever é mais forte do que uma arma. Você deve escrever algo bom. Escreva algo magnífico.” Seo Hwi Young

O drama está disponível na Netflix. Deixo aqui a OST (Original Sound Track) Mais perfeita do universo.


Se decidir assistir, me conte o que achou!

Beijos e até mais!

Você pode gostar também...

5 comentários

  1. Uaaau, quanta intensidade ao descrever o drama, deu vontade de conferir para ver se é tudo isso mesmo hehehehe.
    Você me conveceu a começar a assisti-lo, as expectativas estão altas depois da sua resenha.
    Vou dar uma chance e começar hoje!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Eu Amo Esse Dorama,Tipo De mas De Mas Mesmo,Eu Só Mim Senti injusta Pelo Terceiro Personagem,Sei Lá,Por Ele Não Pode Reencarna e Vive Com o Amor Da Vida Dele,Mesmo Que Ela Não Goste Dele Nessa Vida,Ela Gostava Dele Na Passado,Proriso Que Ela Sempre Fala Que Tinha "MATADO ALGUM QUE NÃO DEVERIA TER MATADO,QUE SEMPRE QUANDO ELA DIZIA ISSO ELA SER SENTIA TRISTE,QUE UMA DÓ MUITO GRANDE SURGIA DENTRO DELA"Pra Minha Isso Era Mas Um Motivos Que Eles Se Gostam E Deveria Ficar Juntos

    ResponderExcluir
  4. Eu Amo Esse Dorama,Tipo De mas De Mas Mesmo,Eu Só Mim Senti injusta Pelo Terceiro Personagem,Sei lá,Por Ele Não Pode Reencarna e Vive Com o Amor Da Vida Dele,Mesmo Que Ela Não Goste Dele Nessa Vida,Ela Gostava Dele No Passado,Proriso Que Ela Sempre Fala Que Tinha "MATADO ALGUM QUE NÃO DEVERIA TER MATADO,QUE SEMPRE QUANDO ELA DIZIA ISSO ELA SER SENTIA TRISTE,QUE UMA DÓ MUITO GRANDE SURGIA DENTRO DELA"Pra Minha Isso Era Mas Um Motivo Que Eles Se Gostam E Deveria Ficar Juntos

    ResponderExcluir
  5. Comecei a assistir hoje, estou no segundo episódio e já estou fascinada pela história

    ResponderExcluir