Nunca saia sozinho – Charlie Donlea | Faro Editorial

A escola preparatória de Westmont é conhecida por ser uma instituição de elite, com regras rígidas, que busca exprimir de seus alunos a excelência, os preparando para a vida. O campus fica em meio a uma floresta, e ali em suas proximidades há uma pensão abandonada, um lugar cercado por histórias que os alunos adoram desafiar, tornando o local um ponto de encontros noturnos e “proibidos”, que para aqueles que aceitam o convite, fica o alerta, não deixe a vela apagar, pois o homem do espelho pode estar por lá. Só que, o que antes parecia uma “brincadeira”, um jogo entre os alunos, se transformou em caso de polícia; dois jovens foram brutalmente assassinados e deixados expostos para que todos os demais pudessem ver. Na época, um professor foi condenado diante de algumas evidencias, só que um ano após a tragédia, a escola está outra vez nas manchetes, pois os alunos que sobreviveram aquela noite macabra, estão retornando ao local para se matarem, a questão agora é por quê?

Devido a grande repercussão e os mistérios por trás das mortes seguidas dos suicídios, o Podcast – A Casa dos Suicídios -, tem alcançado cada vez mais ouvintes e promovido muitas discussões sobre o caso, assim com teorias e novas hipóteses sobre o que teria acontecido. Porém, não são apenas os leigos que tem se atraído pelo caso, nomes como Ryder Hillier uma jornalista investigativa que também possui um blog e canal no youtube que fala sobre o tema, tem se interessado mais a cada dia, e outros como Lane Philips, especialista em traçar perfis psicológicos , são convidados a vir dar um olhar mais profissional aos episódios. E não é só isso, intrigado com os acontecimentos Lane tenta convencer sua parceria Rory Moore, investigadora forense de renome, capaz de enxergar detalhes que ninguém mais viu, para ajudá-lo a esmiuçar o caso.

“— Naquela época, eu era muito jovem para entender como me sentia, mas as nossas sessões esclareceram as coisas para mim. Foi asco o que senti. Naquele dia passei a compreender que os fracos não têm lugar nesta terra e que aqueles que os atacam são igualmente dignos de extinção.”

A questão é que, quanto mais eles remexem os arquivos, buscam provas e passam a ter uma ideia sobre o possível jogo daquela fatídica noite, mais perigosa, arriscada e complicada fica a investigação. Algo fora do normal aconteceu naquele dia, ou pior, ainda está acontecendo, uma corrida contra o tempo, colocando todos os envolvidos em xequê, pois pode não haver uma maneira disso terminar bem.

Uau... eu sempre concluo uma leitura do Charlie com a sensação de que preciso recomeçar a ler imediatamente, primeiro porque fui surpreendida em algum momento e segundo porque o que ele consegue fazer em seus enredos é surreal. Charlie é o tipo de autor que ama e se aproveita muito dos detalhes, das entrelinhas, e quando você pensa que sabe como decifrar isso, ele embaralha novamente as peças e te deixa desnorteado outra vez. E isso é muito empolgante. Gosto das muitas vozes que ele traz pra trama, da maneira como tudo começa embaralhado e sinistro, nos levando a acreditar que todos são culpados e do nada, nos fazendo mudar de opinião mais uma vez. É sempre como um imenso quebra-cabeça complexo, que você precisa ir encaixando peça por peça. E como ele entrega essas peças, como vamos descobrindo junto com os personagens, à medida que eles passam a ganhar rostos e bagagem é apenas INCRÍVEL. E olha que ainda nem falei das MUITAS conexões com seus livros anteriores, que a história faz.

NUNCA SAIA SOZINHO nos apresenta um crime bárbaro, cometido por um ser frio, calculista e diria até que dissimulado. Que viu a oportunidade e não perdeu tempo. A cena é cruel, e o cenário digno de filme de terror, dois jovens mortos sem nenhuma misericórdia, ou hesitação, deixados para serem encontrados e vistos pelos demais que os acompanhavam e não apenas para aterrorizar ou chocar, mas porque até esse fato trouxe certo prazer ao criminoso. Um professor é levantado como principal suspeito, e uma evidencia faz com quem seja impossível descartá-lo, dando o motivo, a oportunidade e detalhes de como a cena se desdobraria, o resultado foi a condenação. Entretanto, mais ou menos um ano após o ocorrido, novas mortes voltam a chamar atenção para o caso, jovens que sobreviveram aquela noite têm voltado até o local e cometido suicídio, e o que fica no ar é o por quê disto estar acontecendo. Obviamente que esses novos acontecimentos voltam a levantar questionamentos, dúvidas sobre o que de fato teria acontecido, e abre espaço para uma nova investigação. E tem muitas pessoas interessadas em desvendar esse mistério, tanto os investigadores e a polícia, como o público que debate incansavelmente o crime em fóruns e com a ajuda de um Podcast famoso levantam novas teorias. Entretanto, também temos aqueles que preferem silenciar o caso. Por isso a jornada é perigosa e aterrorizante.

“A maioria das pessoas evitava a confusão e caos. Rory se sentia atraída por eles. O enigmático e o não explicado a intrigavam, e ela não podia ignorá-los, assim como uma mariposa não consegue resistir a uma fonte de luz.”

Acredito que vocês já tenham percebido o quanto eu amei essa leitura. Fui surpreendida, fiquei angustiada, arrepiei, fiquei sem ar e o final... SENHOR, eu não estava preparada para tudo que foi entregue e principalmente eu não estava preparada para as CONEXÕES, para reencontrar personagens tão queridos e literalmente SURTAR com a presença deles neste livro. E isso me deixou em polvorosa, estamos presenciando uma nova era de Donlea? Teremos mais casos apresentados anteriormente sendo solucionados em um futuro próximo? Ganhamos uma protagonista vitalícia feminina, forte, inteligente, corajosa e destemida? Sigo impactada e muito feliz com tudo isso. Faro Editorial, já temos previsão de um novo lançamento do autor?

Enfim, NUNCA SAIA SOZINHO é mais uma obra rica do autor Charlie Donlea, esse homem que a cada novo livro tem mostrado todo seu talento, dedicação e busca por cativar seus leitores, sem medo de chocar, horrorizar e nos fazer questionar se isso aconteceria apenas na ficção. Gosto do quanto ele explora elementos atuais, como os Podcast, documentários, as discussões em fóruns, a presença da impressa investigativa que mergulha na investigação louca para conseguir um furo de reportagem, ou uma evidencia que até então era desconhecida até mesmo pela polícia. Outro ponto que ainda preciso mencionar é o quanto seus enredos vão crescendo, como ele constrói seus personagens, as muitas vozes que ganham espaço na narração, e essa mescla de tempo que sempre se revela tão essencial para o desenvolvimento do texto. É genial, é Donlea, é concluir a leitura com aquele gostinho de quero muito MAIS.

Fica aqui meu carinho a Faro Editorial por mais um trabalho maravilhoso. Capa, diagramação, tradução, revisão... toda a equipe, obrigada, está lindo demais. E também avisar a vocês leitores que lá no IG @atitudeliteraria tem um destaque LENDO DONLEA, de stories que compartilhei com vocês ao longo da minha leitura, caso fiquem curiosos.

SOBRE OS DEMAIS LIVROS DO AUTOR:

A Garota do Lago – RESENHA AQUI

Deixada Para Trás – RESENHA AQUI

Não Confie em Ninguém – RESENHA AQUI

Uma Mulher na Escuridão – RESENHA AQUI



NUNCA SAIA SOZINHO - Charlie Donlea

Sinopse: SE ACEITAR O CONVITE, NÃO IGNORE O AVISO. Dentro dos muros de uma escola de elite as expectativas são altas, e as regras, rígidas. Na floresta, além do campus bem cuidado, há uma pensão abandonada que é utilizada pelos alunos como ponto de encontro noturno. Para quem entra, existe apenas uma regra: não deixe sua vela apagar ― a menos que você queira encontrar o Homem do Espelho... Há um ano, dois estudantes foram mortos em um massacre terrível. Desde então, o caso se tornou o foco do podcast “A casa dos suicídios”. Embora um professor tenha sido condenado pelos assassinatos, muitos mistérios e perguntas permanecem. O mais urgente é: por que tantos alunos que sobreviveram àquela noite macabra voltaram ao lugar para se matar? Rory Moore, especialista em casos arquivados, e seu parceiro, Lane Philips, começam a investigar a noite dos assassinatos, em busca de pistas que possam ter escapado da escola e da polícia. Porém, quanto mais descobrem sobre os alunos e aquele jogo perigoso que deu errado, eles se convencem de que algo fora do normal ainda está acontecendo. O jogo não acabou. Ele prospera... em segredo, em silêncio. E, para seus jogadores, pode não haver uma maneira de vencer ou de sobreviver.

Ficha técnica:

Suspense, Policial | Charlie Donlea | Faro Editorial | 2020 | 1º Edição | 352 Páginas |Tradutor: Carlos Szlak| Cortesia | Classificação: 5/5 ❤ | Onde encontrar: SKOOB - AMAZON

Até a próxima! Bye.


Você pode gostar também...

0 comentários