Alguém para amar – Mary Balogh | Editora Charme

Anna Snow é professora no orfanato no qual cresceu e foi acolhida com muito amor. Seus alunos preenchem seus dias com alegria e esse carinho se torna sua motivação diária. Ela nunca soube nada sobre sua família de origem, nem os motivos que os levaram a deixa-la ali, o único indício de sua “família” é um bem-feitor que sempre cuidou de suas despesas, desde que ela permanecesse ali em Bath no orfanato. Entretanto tudo muda quando ela recebe uma carta solicitando sua presença em Londres, mesmo com relutância, apreensão e medo, ela acaba aceitando o convite e parte para a capital, o que ela não imaginava era se deparar com uma sala cheia de nobres, de narizes em pé, que claramente não compreendem, assim como ela, o motiva dela estar ali, em meio a uma reunião de família, para a leitura de um testamento. Mas, a resposta não demora a chegar, e Anna não consegue acreditar em tudo que se desdobra bem na sua frente, a verdade é que nada mais será como antes... Ela não é uma órfã, não é uma bastarda, Anna possui uma família, ela é uma Westcott.

Avery Acher, duque de Netherby, odeia se sentir entediado, ser sugado para o meio de dramas que ele não pediu, e não gostaria de fazer parte, porém família é o tipo de obrigação que não se pode virar as costas, ou ignorar. Uma tutela que caí em seu colo antes que se dê conta, uma figura encantadora que surge do nada; quando compreende o que realmente está acontecendo já é tarde demais e fica impossível resistir ou até mesmo se afastar. Anna o cativou, na verdade ela o intriga e desperta em seu âmago uma necessidade desesperada de ajuda-la, de tentar protegê-la, de impedir que a engulam, já que sua versão original, é simplesmente única, e passar tanto tempo ao seu lado têm o deixado fora de si, tendo pensamentos indesejados, agindo por impulso e tomando decisões que ele próprio custa a assimilar.

“(...) Fomos feitos para contar e ouvir histórias, Joel. Foi assim que o conhecimento foi transmitido de pessoa para pessoa e de geração para geração antes que houvesse a palavra escrita, e mesmo depois, quando a maioria das pessoas não tinham acesso a manuscritos ou livros e não conseguia lê-los, mesmo que os tivessem.”

ALGUÉM PARA AMAR nos apresenta Anna, uma jovem que cresceu em um orfanato na cidade de Bath e que nunca conheceu sua família. Aos vinte e dois anos, ela trabalha como professora no próprio orfanato, com uma natureza doce, e sonhadora, ela tenta compartilhar essas características com as crianças que já possuem tão pouco, como se sonhar os permitisse de certa forma alimentar suas esperanças e dar motivos para acreditarem que a vida pode ser melhor. Entretanto, por mais que se permita sonhar, jamais imaginou ou considerou o giro que sua vida iria sofrer, a levando para a maior aventura de sua vida, uma onde ela descobre possuir uma família grande e uma fortuna que não consegue nem mensurar. Só que nem tudo soa perfeito, ela irá se deparar com uma sociedade acusatória, cruel, ao qual ela irá precisar se moldar, se adaptar e tudo isso tentando manter sua essência. Sua sorte é ter Avery ao seu lado, por algum motivo, ela caiu em sua graça, e ele com sua presença misteriosa, irá ajuda-la nessa nova jornada.

Caro leitor, se você me acompanha no Instagram, provavelmente viu meu “surto” ao ler ALGUÉM PARA AMAR, eu comecei a ler a história sem saber muito sobre ela, é um costume meu não ler as sinopses e apenas me jogar nas narrativas. E olha, acertei em cheio, pois a cada página fui sendo surpreendida. Os cinco primeiros capítulos são vertiginosos, são tantas as reviravoltas e acontecimentos que muda completamente a vida de TODOS os personagens e deixa o leitor aqui do outro lado, de boca aberta, sorrindo e vibrando pelas surpresas que a vida tem. Mas ter um início tão marcante cria altas expectativas e um peso para o enredo, que mais uma vez foram atingidas e superadas.

“— Mas vida e dor andam de mãos dadas. Não se pode viver plenamente a menos que se sinta dor pelo menos ocasionalmente. Você decerto deve concordar.”

Mas o que chamou tanto sua atenção, Biia? A maneira como a autora desenvolveu e construiu os personagens. Anna não se rende ao meio em acaba inserida, sua essência é genuína, ainda que uma fortuna passe a ser sua, o que mais faz seus olhos brilharem é a ideia de se ter uma família – irmãos, primos, tios, avôs -, é isso que mexe com sua cabeça, não são os babados, não é o novo guarda-roupa, as propriedades... enfim, ela não quer deixar de ser quem é, e vai buscar um equilíbrio para isso. Já a figura de Avery, eu amei... veio para desconstruir a imagem que sempre temos dos duques, imponentes e poderosos. Aqui temos um homem de traços delicados, de beleza refinada, por vezes extravagante, com muita alta-confiança, olhar afiado, arrogante, que se impõe mesmo tendo uma compleição-física mais franzina perto de outros homens. O que realmente o engrandece, é sua personalidade, a forma como ele escolheu viver, como ele olha, fala, trata as pessoas a sua volta, existe uma aura misteriosa ao seu redor, uma força que exala. A verdade é que ele é cheio de camadas, algumas recheadas de segredos...

Outro ponto que ainda quero mencionar é o quanto a narrativa da autora prende, é uma leitura rápida e envolvente, com tudo dosado na medida perfeita, temos drama, diálogos divertidos, romance, relações familiares, amizade, amadurecimento... é apenas incrível. E a edição da Editora Charme, está lindíssima, o que torna tudo ainda mais especial.

Por ser o primeiro livro da série somos apresentados a muitos personagens, e já ficamos ansiosos por suas histórias, já prevendo mais reviravoltas e caminhos de aquecer o coração. Já quero, já preciso.

Enfim, acho que deixei bem claro o quanto eu amei a leitura. Fica aqui essa dica especial para os amantes de romance de época, ou para quem quer começar a se aventura no gênero.


ALGUÉM PARA AMAR

Sinopse: Humphrey Westcott, o conde de Riverdale, acaba de morrer, deixando uma fortuna e um segredo escandaloso que transformará para sempre a vida de todos em sua família, incluindo a filha que ninguém sabia que ele tinha… Anna Snow cresceu em um orfanato em Bath, sem nada saber de sua família de origem. Quando descobre que o falecido conde de Riverdale era seu pai, ela herda sua fortuna e também fica muito feliz em saber que tem irmãos. No entanto, eles não aceitam suas tentativas de dividir sua nova riqueza. Só que o guardião do novo conde está interessado em Anna... Avery Archer, o duque de Netherby, sempre manteve os outros à distância, mas algo o leva a ajudar Anna em sua transição de órfã à dama. Com a sociedade londrina e os parentes recém-descobertos de Anna ameaçando subjugá-la, Avery intervém para resgatá-la, mas se vê vulnerável a sentimentos e desejos que ele havia mantido escondidos muito bem, por muito tempo.

Ficha técnica:

Romance de Época | Mary Balogh | Série Westcott | Editora Charme | 2020 | 1º Edição | 328 Páginas | Tradução: Monique D’Orazio | Cortesia | Onde encontrar: SKOOBAMAZONLOJA CHARME

Até a próxima! Bye.

Você pode gostar também...

0 comentários